Relvado vacina 93,90% dos grupos de riscos

Através de um trabalho dedicado e intenso através de visitações, palestras e orientações, a equipe técnica da saúde alcançou um alto índice na campanha de vacinação. Foram vacinados 93,90% dos grupos de idosos acima de 60 anos, das gestantes, dos trabalhadores da área da saúde e das crianças de seis meses até dois anos incompletos.

Para que esse índice fosse alcançado no dia 13 de junho, data final da campanha, o setor de imunização diz que contou com o esforço e empenho de toda a equipe de saúde, a qual realizou uma busca efetiva diretamente nas residências, em todas as suas microáreas buscando as pessoas e levando até elas as vacinas. As abordagens eram realizadas com a ajuda das agentes de saúde que tiveram um papel fundamental na orientação e no convencimento às passoas para que tomassem a vacina.

A coordenadora das imunizações, enfermeira Simone, parabeniza toda a equipe que trabalhou para o êxito desta conquista, em especial as técnicas de enfermagem Juliana e Gisele, que foram ao encontro das pessoas junto com Simone e também a enfermeira Belquise Calvi, que vacinou todas as pessoas acamadas do município.

Agora, após o término da campanha, fica o compromisso de assegurar a segunda dose para as crianças que necessitam dela. As doses que sobraram foram disponibilizadas para algumas pessoas fora dos grupos prioritários. Infelizmente a secretaria não consegue vacinar a toda a população, pois não recebem doses suficientes.

Fica aqui os parabéns a todas as pessoas idosas, gestantes, trabalhadores da saúde e as mães que levaram seus filhos para receber a vacina, confiando na prevenção que a vacina oferece.

Parabéns a todas as pessoas que carregam consigo o sinônimo da palavra PREVENÇÃO, pois a vacina não é somente para a gripe sazonal (gripe comum), mas também previne contra a GRIPE A que é muito agressiva.

Dúvidas frequentes sobre a nova gripe Influenza A – (H1N1)
O que é a influenza A (H1N1)?
Influenza A é uma doença respiratória aguda (gripe), causada pelo vírus A (H1N1).

Qual a diferença entre gripe comum e a Influenza A (H1N1)?
As duas são causadas por diferentes subtipos do vírus Influenza. Os sintomas são muito parecidos e se confundem: tosse, dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações e coriza.
Alerta! Para a Influenza A (H1N1) se acrescentam os seguintes sintomas: febre superior a 38 C, tosse e dispnéia (falta de ar), acompanhada ou não de dor de garganta, manifestações gastrointestinais, e/ou extremidades azuis (cianose).
A orientação é, ao ter alguns desses sintomas, procurar seu médico, um posto de saúde ou um hospital na região em que reside.

Quais as formas de contágio?
O novo vírus se transmite de pessoa a pessoa, principalmente por meio da tosse ou espirro e das secreções respiratórias das pessoas infectadas.
Adultos: a transmissão se dá desde um dia antes até 7 dias depois do início dos sintomas.
Crianças: transmitem o vírus até 14 dias após o início dos sintomas.

Quais são as medidas de prevenção?
1) Lavar as mãos com água e sabão com frequência ( após tossir, espirrar, antes das refeições, antes de tocar os olhos, boca e nariz);
2) Proteger a boca e o nariz ao tossir e ao espirrar, e em seguida lavar as mãos;
3) Evitar tocar o nariz e olhos após tocar superfícies;
4) Ventilar os ambientes;
5) Beber bastante líquidos, ingerir alimentos nutritivos, controlar o estresse e praticar atividades físicas.
6) Evitar aglomerados e ambientes fechados.

A Influenza A tem tratamento?
Sim. O tratamento está disponível em toda a rede do Sistema Único de Saúde (SUS). Em caso de suspeita, procure seu médico, um posto de saúde ou um hospital na região em que reside.

FONTE: Folha Revaldense

APP Marketing Digital / Marketing Digital